(foto de Patrícia Amato)

Depois de entrevistar minha querida amiga e Fotógrafa Artística Sandra Lozano, senti-me inspirada a rever umas fotos  que fiz num local perto de onde moro num dia de muito sol. Procurei ver o enquadramento delas e deparei-me com esta de uma “Costela de Adão”, que tirei sob a copa de uma árvore.

Lembro que eu queria muito alcançar esta planta, mas ela estava muito alta.

Esta planta provavelmente fixou-se naturamente na copa da árvore, assim como uma orquídea ou bromélia o fazem em seu meio natural. Uma planta  sabe o que fazer naturalmente para ter luz e ser plena. E conosco não deveria ser diferente.

Não sei se já aconteceu com você artista ou não artista, de sofrer demais para aprender um estilo que definitivamente não é o seu. E sentir-se frustado por não obter o resultado que deseja, “Ah eu queria tanto alcançar este objetivo”. Mas,  não é o correto sonhar alto e tentar, você pode pode pensar?! Claro que sim e vencer as dificuldades também. Mas estou falando de outra coisa. De algo não natural, algo que lá no fundo você sente que não é a sua vocação e mesmo assim insiste em fazê-lo para ter a aprovação de alguém, ou para provar a alguém que é capaz.

Caímos nesta amardilha, às vezes. Na arte e fora dela. Uma época, na minha adolescência, eu deixei de escolher seguir minha verdadeira vocação artística e escolhi fazer Quimica Industrial para ter a aprovação e ser aceita pela minha família. Não que eles quisessem que eu fosse Química, mas ter uma artista naquela época….não era o sonho de consumo deles. Paguei caro pela escolha que fiz.

Na arte, ao escolher um estilo, se você sentir que está indo por um caminho que internamente agrada a muitas pessoas ( e vende) mas não sente-se realizado, tenha uma outra linha também que possa lhe agradar e dar prazer. Gostaria de saber em qual manual está escrito que o artista deve pintar sempre o mesmo estilo. Ele deve sim, ser reconhecido em qualquer Obra que fizer, é como uma impressão digital e este é seu verdadeiro valor artístico.

Assim como esta planta que fotografei e que fixou-se à arvore para buscar a Luz, nós seres-humanos devemos fazer o mesmo. Buscar  nossa Luz Interior e não permitir que nada nem ninguém interfira no poder pessoal que ela nos emana. Quem vence na vida tem pelo menos duas coisas: humildade e luz própria. Não ofusca a ninguém e nem a si próprio.

Boas Artes! Aonde estivermos, que haja Luz!

Anúncios