(foto de Patrícia Amato, Vitral de autor desconhecido, Igreja da Casa da Criança em Campos do Jordão)

O ser humano tem uma facilidade enorme para aprender. Nasceu com sede de conhecimento. É de nossa natureza a busca pelo saber infinito. Nascemos sabendo instintivamente sugar o leite materno, a chorar nossas dores e a buscar curiosamente os sons e imagens que nos proporcionam segurança.

Aos poucos tateamos e sentimos os gostos selecionando muito bem o que queremos para nós. Até o momento em que nos tornarmos adultos e ainda assim por muitas vezes, buscamos o que fazer da vida  mesmo na meia idade. Foi somente aos 44 anos que decidi ser Artista Plástica profissionalmente e me orgulho desta escolha.

Embora estudasse artes desde os 08 anos de idade, minha carreira tinha sido outra. Então busquei ajuda profissional. Meu Mestre foi e é até hoje (estou com 46 anos) Sergio Grecu. Além do que, tornou-se um amigo para a vida toda. Com ele aprendi e aprendo até hoje (mesmo sem aulas regulares), tantas técnicas que não consigo enumerá-las.

Sérgio é daquelas pessoas que tem prazer de compartilhar o que sabe. Não esconde o que continua a aprender do alto dos seus 73 anos de vida. Uma pessoa simples, que todo mundo admira e gosta. Ele realmente é um Mestre.

E falando em simplicidade, a sua antítese é o maior veneno dos artistas. Hoje li algo que me tocou bastante. Veja isto:

“A Arrogância explora os seres, o feio, o demente, a miséria, o choro, a prática da injustiça, mas a Arte exalta as qualidades, o belo, a sede do saber, a mesa posta e se opõe à opressão”.(fonte: Brasilonline.com, artigo: A Arte e a Arrogância)

Penso que o verdadeiro Artista compartilha conhecimento e não se deixa vencer pela arrogância que pode lhe assombrar a vaidade. Na verdade, assombra-lhe a alma.

O meu grande amigo José Augusto Leitão, o Jal, costuma dizer que quem “se acha” costuma se perder. E ele é um sábio de quase setenta anos.

Proponho que compartilhemos mais o que sabemos uns com os outros. Que não tenhamos vergonha de dizer “não sei fazer” e mais do que isto, que tenhamos a Sapiência e a Humildade de passar sim informações para que outras sementes brotem e frutifiquem. E de preferência, melhores do que nós, porque somente assim, viver terá valido a pena.

Somos todos de carne e osso, todos.  Um ser humano que se acha poderoso demais, torna-se ruim. Elevemo-nos. Ajudemo-nos. Compartilhemos o Sagrado Saber! Nada somos perante o Maior Artista de Todos os Tempos. Amém.

Boas Artes!

Anúncios