(Foto de Patrícia Amato)

O primeiro post de 2017. Feliz Ano Novo!  Pensei e resolvi que deveria ser algo forte e encorajador. É importante saber onde estamos para saber onde queremos chegar. Em seguida, traçamos o “como chegar”. Para colher os frutos desta trajetória, como mostra a foto que ilustra esta matéria.

Lembrei-me de uma música dos Titãs que faz todo o sentido para nós, Artistas, Curadores, Consumidores de Arte, estudantes e Apreciadores. “A gente não quer só comida, a gente quer comida diversão e arte. A gente não quer só comida, a gente quer saída para qualquer parte.”

E por incrível que pareça, lembrar-me deste verso me deu esperança. Pois todo ser humano precisa de Vida Plena. Ninguém quer só comida. As pessoas estão clamando por mais.E isto é uma oportunidade para quem vive de Arte.

Se assim é, este tem mesmo de tudo para ser o Século das Artes, como já ouvi dizer. E nós vamos com tudo, com nosso trabalho oferecer nosso Tesouro Artístico para as almas agitadas que não sabem o quanto dele precisam, mas ao descobrirem, sentir-se-ão tão ou mais felizes do que nós que o produzimos.

Como eu disse no começo, uma vez sabendo onde queremos chegar, falta saber o como chegar. Como ajudar ou não atrapalhar um cliente a comprar um trabalho nosso?! Vou dar uma dica que pode ajudar.  A resposta está em outra pergunta. O que este cliente ganha em adquirir um trabalho seu? Paz, serenidade, um questionamento (depende da obra) que lhe faça sentido, beleza decorativa, exclusiva experiência de sensações que vão além da decoração, uma sensação de aconchego, de prosperidade…qual o benefício que ele ganha?

Depois de ajudar nosso cliente a perceber estes benefícios, não atrapalhemos a sua decisão de compra. “Ah, mas é caro para mim”, ele pode dizer…”O que é caro para vc?” uma pergunta, uma única pergunta com vontade mesmo de entender o que ele quer dizer. Seria o preço, a forma de pagamento?! Não sabemos, e nunca saberemos caso não perguntemos a ele. Entender a objeção do cliente, com real interesse nele.

Pode ser que você consiga argumentar melhor depois de entender as dificuldades dele, pode ser que acerte a negociação. Pode ser que ele realmente não consiga comprar. Mas as chances aumentam e muito quando entendemos a necessidade de um cliente e nos interessamos por ele.

Importante: onde fazer isto?! No contato direto. Seja on line ou vernissages. Já fiz on line e vendi todas as vezes que apliquei esta técnica.

Desejo que você seja muito feliz em 2017. Que prospere como nunca! que seja independente, que venda muito!!!! Nós merecemos!

Boas Artes!

Anúncios