Conheci Ricardo Pelo face. E a foto que ilustra essa matéria foi a que me chamou a atenção. Estava em processo na época. A beleza da técnica e da mensagem me fizeram ir atrás de Ricardo e conversar com ele. E entender o conteúdo artístico deste surrealista talentoso que trabalha com óleo e aquarela. Ele é de Recife. Desenha muito bem. E dedicou esta tela à comunidade LGBTQ.

Já fez muitas exposições e participou de alguns Salões de Artes. Ele é um talento para  o mercado de arte e artista desde os 12 anos de idade. Acompanhe.

ANV – Quando começou a pintar? Como foi?

RF – Aos 12 anos de idade após ter visto um poster na casa de uma vizinha com a imagem de uma mulher chorando, de alguma forma me emocionei.  Nesse  dia, como um sopro, percebi que poderia pintar. Então comecei.

ANV – O que levou você a pintar seu estilo atual?

RF – Não há uma explicação plausível, gosto de trabalhar com a mente sem fronteiras. Tudo o visível, como o cotidiano, compõe a base que vem complementar o imaginário, transformando-se tal junção na imagem que pretendo transmitir ao expectador.

ANV – Quais técnicas você utiliza? 

RF – Geralmente, uso técnicas comuns. Porém, em algumas obras a óleo e em aquarela, utilizo-me bastante da técnica de veladura. Na realidade a maior técnica a se aprender na pintura é a observação.  Observar não é tão simples como parece. Observar não é olhar! É enxergar o que ninguém vê! Luzes, sombras, formas, intensidade tonal, profundidade, pensamento crítico etc.

Quando o aspirante aprender a observar com a mesma necessidade de quem se alimenta, terá o domínio essencial para desenvolver um bom trabalho. Eu sou autodidata e aprendi desta forma com muita observação e prática.

ANV – Quais são suas principais inspirações, referências e artistas que te inspiram?

RF – Sou contemplativo do belo, adoro a natureza e tudo que advém dela. Em consequência, também, me inspira o místico e, em contrapartida as questões científicas de forma ampla.

Os artistas que mais me influenciaram foram: Leonardo Davinci, Jacques Louis David, Hieronymus Bosch, Salvador Dali, Georgio de Chirico entre outros grandes clássicos.

ANV – Como você se descreveria? 

RF – Artista plástico indo de encontro da percepção perfeita do momento.

ANV – Quais são seus próximos trabalhos em vista:

RF – Sim! Tenho como objetivo fazer uma exposição em 2017, focada na diversidade de gênero humano. Nada fácil, eis que descobri ser tema de bastante complexidade.

ANV -O que mais você gostaria de nos contar?

Esclareço que do período de 2000 a 2010 permaneci afastado do mundo das artes plásticas porque me dediquei exclusivamente a minha empresa, cujo material nela produzido destinava-se àquele mesmo segmento, qual seja, artes plásticas.

Para saber mais sobre o Artista Ricardo Fiqueiredo, seguem abaixo os seus contatos:

https://www.facebook.com/ricardofigueiredodesouza

https://www.instagram.com/kacofigueiredo/

https://br.pinterest.com/Kacofigueiredo/

Boas Artes!

Anúncios