(Foto e Obra de Patrícia Amato)

Esta é uma das minhas Obras mais recentes e chama-se ” O Que Restou de Mim Depois da Queimada”. Mede 1mx1m, feita em acrílica sobre tela e está disponível para aquisição.

Falei aqui algumas vezes que todo artista precisa de uma forte mensagem artística para se expressar, encontrar o que quer passar. E aí achar um método para fazer isso. Longe de ser uma “papa” no assunto, muito ao contrário, foi conversando com outros artistas ao longo dos meus dezoito anos de estrada que finalmente ano passado comecei a encontrar um fio condutor. Só comecei.

Eu fotografo queimadas ambientais. Desmatamentos. Fotografo também a natureza e meu jardim, e outros jardins que frequento também. Faço colagens de tudo isto, de forma desconstruída. Vou desenhando, até que resolvo ir para a tela. É algo visceral para mim. E eu faço o possível para que seja para o espectador. Importo-me sim com a plástica, mas muito mais com a mensagem.

O que foi base para esta tela:

Uma foto de uma dália em close. Uma folha de palmeira  queimada. Um esboço de colagens desconstruídas. Teve outro esboço final que perdeu-se no atelier.

Acho que os acabamentos precisam ser bem feitos, sou meio preocupada com isso. Nunca acerto como quero. Preciso sempre melhorar.Mas a mensagem forte, esta precisa estar presente.

Quando converso com Artistas consagrados, vejo que todos eles levam e levaram sempre isto muito a sério em suas carreiras. Eu estou no começo deste caminho. Sempre é tempo para todos nós.

Não é somente na Arte Contemporânea que isto acontece. Na Arte Naif acontece o tempo todo. Você pode pintar inclusive uma natureza morta com todo o sentido, desde que saiba o porque de ter colocado cada elemento e qual o significado deles. Mais do que isso, que mensagem quer passar com eles. Da Vinci foi um Mestre em passar mensagens com suas Obras Subliminares.

Lembre-se: a boa arte nunca é óbvia demais. Ela é sempre bem pensada, mesmo a ornamental que tem todo um grande valor.

Boas Artes!

Anúncios