(Todas as Fotos de Patrícia Amato)

Fiz uma série de Imagens em Julho intitulada “Rupturas”. Pelo momento de rompimento com muitas coisas que eu vivi e vivo. Pela pegada ambiental que todas as minhas Obras Contemporâneas tem. As Imagens são todas de palmeiras desmatadas.

E refletem muito de como eu me sinto às vezes. Quando digo que precisamos romper com modelos do século XX onde pagamos para expor, onde o artista ainda paga para trabalhar.

Também mostram outros rompimentos do meu passado executivo, onde tomei coragem de jogar muita coisa para o alto e seguir meu coração de Artista.

“Eu Rompi”

  • Eu rompi
  • Rompi com o que não era meu
  • Para ser eu
  • Rompi com o conforto desconfortável
  • Rompi com o teatro plástico de máscaras prontas
  • Para viver minha vida
  • E me tornar quem sou
  • E quem serei
  • Quem serei?
  • Não sei…
  • Rompi com o mandante velado
  • Disfarçado de bom ouvinte
  • Rompi com o faça o que eu digo
  • Em troca de ter o que você quer
  • Rompi só que ainda tenho apoio
  • Tenho muletas que me sustentam.
  • Agora tenho que chutá-las
  • Para viver a independência da pura coragem
  • Do Rompimento completo
  • E viver do sustento
  • Do que faço, do que sou e do que serei.
  • E aí sim, viver terá valido a pena
  • Com os que amo e com o que amo, do que amo.
  • VIVER – nunca mais ninguém nem nada tirará de mim o prazer de ser Livre.

Patrícia Amato – Agosto de 2016.

Só para constar. Agora em fevereiro de 2017, não há mais muletas! Viva!

Boas Artes!

Anúncios