Em 1504, a cidade de Florença, berço da Renascença, estava em polvorosa com o que se chamou de “a batalha das batalhas”. A notícia que corria de boca em boca era que o jovem artista Michelangelo Buonarroti de 29 anos tinha aceitado o convite para pintar uma cena de guerra numa das paredes do Palazzo della Signoria que era a sede do  governo florentino, na época. Até aí, nada tão relevante não fosse o fato de Michelangelo fosse um gênio. E mais ainda. O detalhe bombástico mesmo foi de que o mesmo convite tinha sido feito, um ano antes, a outro grande artista, Leonardo Da Vinci , de 51 anos. Leonardo aceitara a encomenda e já havia até montado seu andaime na parede oposta àquela posteriormente oferecida a Michelangelo. Ai ai ai.

Já imaginaram? Colocaram os dois para rivalizar. Da Vinci com sua fama de não terminar o que começava, incomodadíssimo com aquele garoto que ousava querer ser “ele”. Michelangelo com sangue nos olhos de achar o seu lugar, cheio de juventude querendo ser, ou melhor, achando ser muito melhor que Da Vinci.

A tarefa de cada um era retratar uma cena de batalha, de livre escolha, inspirada na história recente de Florença. O trabalho era super bem pago que se tornou irrecusável para os dois. Sentiram-se estimulados pela competição. . Foi ali que Leonardo rascunhou  sua Batalha de Anghiari. “Estavam em jogo duas visões bastante diferentes do fazer artístico”, diz o historiador Francisco D’Alambert, professor da Universidade Estadual Paulista, Unesp.

E sabem do mais divertido? Florença e o mundo jamais ficaram sabendo qual dos dois venceria o desafio. Ambos interromperam seus trabalhos  entre 1505 e 1506. Leonardo, sob alegação de que estava comprometido com encomendas inacabadas em Milão. Michelangelo, porque precisou atender aos pedidos do papa Júlio II, em Roma, e deixou preparados apenas os desenhos de sua Batalha de Cascina. Aparentemente, os motivos das desistências deles foram justificáveis. Mas será que de alguma forma, eles não teriam amarelado?

Eu não sei a resposta, nunca saberemos de fato. Mas é bem provável.

Acredito sim, que deve ter sido um alívio eles saírem desta enrascada. Eu não gostaria de rivalizar com alguém e ter a cidade toda me olhando sob pena de ter minha tão conquistada reputação cair por terra de repente. E a humanidade toda ganhou por eles nunca terem terminado este trabalho,pois ao invés de um, temos dois grandes gênios competidores.

Por isso sou a favor de competições sadias. E sabendo que aqueles Artistas que não são selecionados em Salões, não são menos geniais que os demais. Um Viva a Todos Nós!

Boas Artes!

 

Anúncios