(Foto de Patrícia Amato)

Todos os Artistas experimentam momentos em que a inspiração desaparece. Simplesmente, ela não vem. Pode ser pelo seu estado de ânimo, pela influência do tempo ( eu em dias mais frios, sinto menos vontade de pintar e em dias de muita chuva, também), por um momento difícil que esteja passando ou às vezes nem sabe porque. O fato é que acontece com todos nós.

Quando não vivemos de Arte, menos mal. Mas, quando a Arte é nossa profissão e quando temos compromissos, fica complicado.

Eu tive outra profissão paralela à de Artista por quase trinta anos e posso dizer que a falta de inspiração é algo que acontece em todas as profissões. A única diferença é que com as profissionais autônomos,  a situação é mais densa. Se você não trabalha, não vende, não recebe. Mas sim, todas as pessoas no mundo tem dias em que não tem vontade alguma de trabalhar. E mais, tem vontade de apertar a tecla “exploda-se” (para ser educada) quando esforçam-se muito e nada dá certo.  Acontece com o Presidente de uma empresa que tem o maior salário do mundo e com o funcionário de outra que tem o menor salário do mundo. Acontece também com o Artista mais badalado do planeta e com aquele que jamais conseguiu vender uma Obra.

Mas, então o que fazer?! Eu não tenho uma resposta. Mas vou tentar ajudar.

  • Sobre sentir-se feliz.O que eu fiz quando estava muito infeliz na minha antiga profissão, foi despedir-me dela, literalmente. E com muita coragem, abrir mão de uma situação confortável totalmente diferente da que vivo hoje. Porém, não vivia com um décimo da felicidade e da tranquilidade que tenho agora. Então, buscar a paz interior, parece-me ser o primeiro passo, com planejamento. Se você está feliz com sua profissão, ótimo. Busque a paz, dentro de você. Espiritualmente.
  •  Sobre a inspiração. Acredito que para  o Artista especificamente, entrar no atelier ajuda a encontrá-la. Ficar por lá. mexer nos materiais, começar a esboçar idéias e brincar com sua criatividade ajuda a achar a danada da inspiração que brincava de esconde-esconde com você. Para as demais profissões. Eu costumava desenhar também, na minha mesa. E escrever a mão algumas idéias sobre o trabalho chatíssimo que eu estava fugindo. Logo vinha algo super bacana.
  • Sobre criatividade. Qualquer profissional precisa de um mínimo de criatividade em seu dia a dia. Até os mais rotineiros, sem a criatividade de pelo menos bater papos diferentes com os colegas ou inventar formas  de levar seu dia a dia, não conseguiriam suportar sua rotina. Imagine então, os profissionais de inovação, de marketing, de vendas e nós Artistas. Para alguns, a criatividade é mais natural, claro. Mas, nos momentos em que ela estiver te faltando, minha dica é parar tudo. Saia do ambiente em que se encontra. Vá para outro lugar, pelo menos por cinco ou dez minutos. Se possível, tome contato com algo muito fora da sua rotina. Se está no atelier, vá para a cozinha. Ou veja um animalzinho, uma flor, por exemplo. Se está no trabalho, vá dar uma volta no ambiente mais externo que conseguir e veja as plantas. Faça o esforço de observar atentamente o ambiente externo que escolheu. Volte. Descreva o que observou. Só isso. Volte a trabalhar. Verá como a criatividade aflorará com tudo. É infalível!

O mais importante destas três coisas, é resolver a primeira. O mais rápido possível. Sem paz interior, é muito difícil ser feliz, né?! E não precisamos de muito, sabe?! Precisamos do essencial. O difícil é tomar a decisão de conviver com o essencial e abrir mão do que não nos faz bem. Seja material, pessoal ou profissional.

“O Essencial é Invisível aos Olhos” (Antoine de Saint-Exupéry). Mas encontrá-lo, é vital para ser feliz.

Boas Artes!

Anúncios