Obra de Cândido Portinari – acervo do Masp, foto de Patrícia Amato.

Estes dias eu estava lendo nas redes sociais, comentários inconformados de Artistas sobre Obras Atuais de novos “artistas” nas bienais e mostras internacionais. E sinceramente, concordei com eles.

Parece que perdemos um pouco a noção do que é poética (mensagem que o artista transmite em sua arte e que faz indagações), e com isso aceitamos como Obras de Arte qualquer coisa. Escatologia, lixo, cabeças e ossos de animais…são montados descuidadamente em Obras ditas “instalações” e chamadas de Arte.

Por isso é tão importante saber o que é poética  e encontrar a sua. Para não falar demais sobre o que é poética, vou usar uma Obra de Portinari que fala por si só.

Masp Portinari2

Obra: Criança Morta, Candido Portinari. Acervo do Masp. Foto de: Patrícia Amato.

Olhe atentamente para esta Obra. Veja os incríveis detalhes. Uma família inteira chorando a morte de sua criança mais nova, inclusive a avó no canto superior esquerdo. Todos bem magros, maltratados – veja os detalhes que mostram a carne magra das pessoas, os músculos e ossos saltando da pele. Sinta quanta dor!

Sinceramente, eu choro quando me posiciono em frente a esta Obra. Portinari trouxe aqui uma reflexão contra a fome de nossa gente brasileira, em plena década de 20. Um tema ainda tão atual em muitos estados do Brasil. Ele passou uma mensagem. Isto é poética. Mas usou de beleza plástica!

Agora veja estas duas Obras abaixo.

 

São do mesmo Portinari, quase da mesma época. Sim, ele era um excelente retratista.
Coloquei estes três exemplos aqui, para que algumas coisas fiquem claras.

  1. Poética é a mensagem ou indagação consistente que o Artista passa com sua Obra.
  2. A Obra “Criança Morta” e outras com este tipo de poética ou poéticas mais fortes (Guerra e Paz de Portinari, por exemplo), é que fazem o nome e a importância de um artista.
  3. Os retratos não tem poética? Eu diria que eles são mais líricos. São lindos, mas não trazem mensagem ou indagação. São homenagens. Mas porque até Portinari pintava retratos? Porque assim como você e eu, ele precisava viver de sua arte. Se retratos vendem até hoje, imagine na década de 20, coma qualidade de fotografias da época.
  4. Respeito demais os retratistas. Eu mesma, retratei e muito paisagens de nossa época. Apenas esclareço aqui, conceitos.
  5. Um Artista que encontra sua poética, pode e deve fazer outros tipos de Obras mais românticas, comerciais ou vendáveis. Pelo simples fato de precisar sobreviver. A Arte com poética projeta o artista, dá-lhe importância. Mas, nem sempre vende.
  6. Um artista sem poética, torna-se mais frágil.
  7. Poética não tem nada a ver com instalações escatológicas ou feitas de lixo, a ponto de se confundirem com lixo de verdade. Mesmo sendo Obras bem menos comerciais, devem indagar com o mínimo de estética e respeito ao público.
  8. O Conceito de arte Contemporânea está DES-GAS-TA-DO. Essa coisa de que em Arte pode tudo, é muito chato. Não pode tudo, não. Pior são os curadores que aceitam estas coisas!

Assim como Portinari, vários artistas tem duas linhas. Uma Artística poética e outra Comercial. Um Artista com estes dois caminhos se fortalece pois consegue fazer seu nome ao mesmo tempo que sobrevive com seu trabalho.

Finalizo dizendo que amo Instalações. A esmagadora maioria é maravilhosa. Indaga, sequestra nosso olhar e pensamento. Viva os Artistas que estudam, mesmo que sozinhos, o seu caminho. Sempre é tempo de encontrar a si mesmo.

Desejo que encontre sua poética, caso não tenha encontrado. E que sem medo, faça obras comerciais também (mas, não só). E que venda muito, com amor ao seu trabalho! Boas Artes!

 

 

Anúncios